Acesso Restrito

Acesso Restrito
  • Cadastre-se
  • Esqueceu sua senha?

Guerra de Unificação da Itália

O território Italiano

A unidade nacional era um desejo antigo, almejado por milhares de nacionalistas italianos. No entanto, as primeiras lutas do movimento de unificação italiana só começaram após a decisão do congresso de Viena, que transformava a atual Itália numa verdadeira “colcha de retalhos” (pois foi dividida em Reino Sardo-Piemontês; Reino Lombardo-Veneziano; Ducados de Parma, Módena e Tosaca; Estados Pontifícios; Reino das Duas Sicílias.).

As primeiras tentativas de libertar o território italiano da dominação estrangeira foram feitos por uma organização revolucionária denominada Jovem Itália. Que tinha por líder Giuseppe Mazzini, que era republicano. A organização Jovem Itália defendia a independência e a transformação da Itália numa república democrática através da levante popular.

Os seguidores de Mazzini, em 1848, promoveram rebeliões contra a dominação austríaca em diversos pontos do território italiano. Apesar de terem obtido sucesso militar, acabaram derrotados pelo poderoso exército austríaco. Mesmo assim, o ideal nacionalista continuou ainda mais forte em toda a península Itálica.


A partir desse momento, a luta pela unificação passou a ser encabeçada pelo Reino Sardo-Piemontês, cujo rei era Victor Emanuel II e o primeiro-ministro, o conde de Cavour. Sendo o último, um dos lideres do Risorgimento (movimento que tinha o intuito de fazer a Itália reviver seus tempos de glória,), que representava todos os que almejavam a unificação em torno do Piemonte, com o estabelecimento de uma monarquia constitucional.

Cavour obteve o apoio da burguesia e dos proprietários rurais e pôs em prática um plano de modernização da economia e do exército do Piemonte. Ainda procurou aproximar-se da França, a fim de conseguir ajuda militar para enfrentar a Áustria. Estabeleceu uma aliança secreta com a França de Napoleão III, depois começou a usar a imprensa para provocar a Áustria. Esta, por sua vez, deu sua resposta declarando guerra ao Reino Sacro-Pimontês. Contando com a ajuda da França, o exército de Cavour obteve expressivas vitórias.

Com a derrota, a Áustria foi forçada a entregar ao Reino Sarco-Piemontês a Lomabardia e os ducados de Parma, Módena e Toscana, cujos habitantes haviam engajado na luta pela unidade nacional. Dando continuidade à luta pela unificação, o revolucionário Giuseppe Garibaldi, à frente de mil voluntários conhecidos como camisas vermelhas, atacou o Reino das Duas Sicílias e criou condições para a libertação do domínio estrangeiro. Através de um plebiscito, os habitantes do Reino das Duas Sicílias decidiram que também queriam ser governados pelo rei Victor Emanuel II.

Em 1861, com a maior parte do atual território italiano sob seu controle, Victor Emanuel II foi proclamado rei da Itália. No entanto, para que a unidade italiana ficasse completa, ele deveria efetuar a conquista de Veneza e Roma. Após a vitória da Prúsia juntamente com a Itália sob a Áustria, Veneza foi incorporada no ano de 1866. Já Roma foi anexada somente em 1870. Com a junção de Roma, completou-se a unificação da Itália.

Século XVI a XIX - Guerras - Brasil Escola






Brasil Escola

Resolução mínima de 800x600. Copyright © 2014 Rede Omnia - Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução comercial sem autorização (Inciso I do Artigo 29 Lei 9.610/98).

R7 Educação